All

Destaque A- A+

12/01/2021 Investimento em projetos de transmissão

Foi aprovada, em reunião do Conselho de Administração da Eletrobras, em 29 e 30 de outubro de 2020, e em Assembleia Geral Extraordinária da CGT Eletrosul, em 11 de novembro, a captação de recursos por meio de emissão de debêntures incentivadas simples, com prazo de oito anos. A oferta pública foi encerrada em 15 de dezembro.

Com montante total foi de R$ 300 milhões, é a primeira vez que a companhia realiza este tipo de operação financeira. O valor obtido pela empresa por meio da emissão será integralmente destinado ao desenvolvimento, à construção e à operação de projetos de transmissão aprovados como prioritários pelo Ministério de Minas e Energia, nos termos da Portaria nº 389, de 27 de outubro de 2020, e anteriormente outorgados pela Aneel em Resoluções Autorizativas. 

Subestação Biguaçu (SC) é um dos empreendimentos que receberá reforço

No total, 34 subestações e nove linhas de transmissão de Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e Mato Grosso do Sul receberão obras de reforços, com prazos de conclusão que vão de 2020 a 2023.

Projetos Selecionados

  1. Reforços na Subestação Curitiba
  2. Reforços na Subestação Areia
  3. Reforços nas subestações Ivaiporã, Siderópolis, Jorge Lacerda B e Joinville, e na LT Biguaçu – Itajaí Fazenda, de 138 kV
  4. Reforços nas subestações Foz do Chapecó, Sarandi, Londrina, Guaíra, Cascavel Oeste, Siderópolis e Caxias, e nas LTs Londrina – Maringá (circuito 1), Cascavel Oeste – Guaíra (circuito 1), Monte Claro – Nova Prata 2 (circuitos 1 e 2), Nova Prata 2 – Vila Maria (circuitos 1 e 2) e Passo Fundo – Vila Maria (circuitos 1 e 2), todas de 230 kV
  5. Reforços nas subestações Areia, Alegrete, Atlântida 2, Anastácio, Biguaçu, Caxias, Caxias Sul 5, Campos Novos, Canoinhas, Curitiba, Farroupilha, Forquilhinha, Gravataí, Gravataí 2, Itá, Ivaiporã, Jorge Lacerda B, Lajeado Grande, Missões, Nova Santa Rita, Osório 2, Passo Fundo, Santa Cruz 1, Santo  ngelo, Sede e Tapera 2
  6. Reforços na Subestação Farroupilha
  7. Reforços na Subestação Blumenau

Outros 10 projetos foram classificados como prioritários pelo MME na mesma ocasião e poderão ser contemplados por futuras emissões de debêntures incentivadas da CGT Eletrosul.

O que é uma debênture incentivada?

Debêntures incentivadas são títulos de renda fixa emitidos com a finalidade de captar recursos para projetos específicos e de interesse para o desenvolvimento do país. Esses títulos, também chamados de debêntures de infraestrutura, funcionam como um empréstimo – quem investe em debêntures, incentivadas ou não, está emprestando dinheiro à empresa que emitiu o título. 

O termo “incentivada” significa que, sobre os rendimentos auferidos pelo investidor, não incide Imposto de Renda, diferentemente do que ocorre com outras debêntures, que não têm esta característica.

Classificação positiva de crédito

No fim de novembro, a CGT Eletrosul conquistou seu primeiro Rating Nacional de Longo Prazo, confirmado em “AA(bra)” e relativo à inédita emissão de debêntures da companhia, com perspectiva estável. A publicação foi feita pela Fitch Ratings, uma das três principais agências de classificação de risco de crédito do mundo.

A nota obtida, “AA”, é a terceira mais alta entre as empresas que possuem grau de investimento, o que atesta boa capacidade de pagamento de dívidas e confiabilidade para aplicação de capital.


Assessoria de Imprensa | CGT Eletrosul

(48) 3231-7588 | imprensa@cgteletrosul.gov.br

voltar        topo da página

CGT Eletrosul
Rua Deputado Antônio Edu Vieira, 999 - Pantanal - Florianópolis - SC.
Telefone: (48) 3231-7000
  • Siga-nos pelo Facebook
  • Siga-nos pelo Twitter
  • Siga-nos pelo Youtube
  • Siga-nos pelo Instagram
  • Siga-nos pelo Youtube